Yo soy Betty, la fea – Ep. 160 – 164

Fazendo uma pausa nos posts dedicados à Mostra para o resumo da minha novela favorita! (como se eu visse alguma outra)

Na semana passada eu acabei gravando errado o episódio da segunda-feira, porque esqueci do horário de verão! Ainda bem que deu para achar online… A novela agora entra na fase da Betty segura de si e que vai salvar a empresa. Não preciso dizer que é spoiler, porque é previsível que Armando e Betty se reconciliam no final, certo? Só que até lá, muita coisa ainda rola, dentro de alguns capítulos as meninas do quartel descobrem a carta de Calderón…

Meu comentário pessoal dessa semana é bem bobo: mas eu digo que adoro ver uma bagunça sendo arrumada e quando se há muito trabalho por fazer! (eu sou virginiana, gentem). Sabe igual naqueles filmes em que tem um “clipe” mostrando uma casa sendo arrumada ou algo assim? Eu adoro, me dá um alívio em ver tudo limpinho! hehehe Eu só queria poder ter uma varinha mágica igual da Flora, da Fauna e da Merryweather :) Vai Betty, que a empresa é tua!

Além do mais, Betty tem que enfrentar Marcela de cabeça erguida, de igual para igual. Muitas vezes, na vida real, a gente precisa engolir alguns sapos e ao mesmo tempo ter a autoestima e segurança de saber do nosso próprio valor pra não deixar que pisem demais na gente. Embora, no que se refere ao amor… estava eu lá no episódio de quarta falando com a TV: “é, Betty, o coração é burro, eu bem sei!”

* * *

Ep. 160 (21/10/2013) – original colombiano Cap. 139

Hugo chega na empresa e Paty diz que Roberto o espera na sala de reuniões, Gutierrez também foi convocado para lá. Antes, Jenny combina com Gutierrez, que ficou de ajudá-la depois da reunião. Ao entrar, Hugo também nem tinha percebido que era a Beatriz Pinzón ali na sua frente, “cadê a mosca morta?”, “esse era o vampiro que você mantinha naquela cova?”.

Roberto diz que os chamaram para anunciar sobre o novo presidente, Hugo diz que aceita o cargo, depois dá risada achando que é brincadeira que nomearam Betty. Ao confirmar, diz que se recusa a continuar na empresa e Roberto explica que ele precisa descansar, que está pedindo a solidariedade de todos para que não vejam a EcoModa afundar. Roberto também diz que entende que Betty precise rearranjar o quadro executivo, Armando e Mário dispõe de seus cargos, Margarida diz que não podem ficar à margem da empresa, pois são acionistas; Betty garante que sempre que necessitarem saber, podem convocar uma reunião extraordinária e receberão um relatório. Roberto também diz que Betty receberá o mesmo salário do presidente, Marcela contesta e Betty diz que ela pode definir o que achar justo, mas que não pode continuar recebendo o mesmo que recebia enquanto assistente da presidência, que Armando bem sabia já ser pouco; Marcela então pergunta com que renda viverão todos os que dependem da empresa – Maria Beatriz, Roberto e Margarida… Betty não acredita que será necessário desfazer dos patrimônios particulares, e que mesmo considerando as despesas da empresa, a quota dos acionistas estava reservada como parte do orçamento, então nesse quesito estão garantidos. Daniel provoca dizendo que Armando não sofrerá consequências apesar de ter quebrado a empresa, o ex-presidente dispõe de seus bens caso Betty ache necessário e inclusive dispensa a cota mensal de direito.

Chega o pai de Betty para participar da reunião, a pedido de Roberto. Roberto esclarece a todos que, como a TerraModa é quem cuidará da EcoModa, solicitará a Hermes para que cuide da parte contábil das duas empresas e que forneça relatórios periódicos a Roberto. Roberto pede licença, que vai descansar e a partir desse momento a empresa está nas mãos de Betty, deseja sorte a todos e pede para Gutierrez passar memorandos comunicando a nomeação oficial. Em seguida, Betty também convoca uma reunião no dia seguinte e diz que entende que eles não gostem nada dela ali, mas ela também não e pretende trabalhar ao máximo para que tudo se resolva o mais rápido possível. Ela se retira com o pai, mas no corredor as meninas do quartel a pegam para esclarecer tudo.

Betty reluta e quer sair logo, mas Patrícia começa a arranjar briga com as meninas, diz que espera que Betty nunca mais volte, insulta seu pai, quando Gutierrez chega e acaba anunciando a todas que Betty é a nova presidente da EcoModa. As meninas perguntam se é verdade, e diante da confirmação, ficam super animadas. Patrícia não consegue acreditar, invade a sala de reuniões e chora sabendo que é verdade. Armando e Mário comentam entre si como Betty mudou, com Calderón já sugerindo que Armando poderia tentar algo e ver “o que sai dali”.

Betty vai conversar com Marcela, quer colocar na mesa todas as cartas. Terão que trabalhar juntas a partir desse momento, Marcela diz que só aceitou ficar pelo Roberto e porque não queria deixar nas mãos de Betty todo o trabalho do pai, Betty diz que isso é muito bom. Marcela acha ainda que há uma intenção de vingança, mas Betty retruca que se fosse assim, não teria devolvido a empresa, pediu para que Marcela ficasse porque sabe que a empresa precisa dela. Beatriz lembra que Marcela sempre a perseguiu e humilhou, Marcela admite que nunca gostou de Betty e que Betty não espere que se retrate, defende que o que ela fez nem chega perto do desastre que Betty causou. Por sua vez, Betty conta que sabe ter sido grave o que fez, mas Marcela não estava na pele dela para saber, poderiam dizer que estão “empatadas”. Marcela conta à Betty que Armando e ela voltaram, tentando reconstruir o que Betty destruiu. Betty diz que era de se esperar, lembra Marcela que pela carta de Mário, pode-se concluir que a única coisa que produzia em Armando era asco, se pudesse, garante que não voltaria ali e vai tentar se manter o mais longe possível de Armando. Antes de sair, Marcela pede discrição por parte de Betty, para que não caia na boca dos empregados o jogo sujo, Betty garante que não fará alarde nenhum, pois seria um motivo de vergonha e ela tem dignidade.

Jenny briga com Sofia, até que Gutierrez decide atendê-la, fala que vai ajudá-la, mas devem sair para conversar melhor… Betty chega e avisa Jenny que ela pode voltar no dia seguinte e resolverão sua situação. Nisso, chega Hugo também e pergunta se Jenny arranjou outro emprego, quando a “demonstradora” diz que não, ele fala que ela está contratada de novo.

 

Ep. 161 (22/10/2013) – original colombiano Cap. 140

Sofia diz para Hugo que para contratar Jenny precisa primeiro da autorização da “doutora Pinzón”… Hugo diz que não é porque Betty é presidente que todas serão vice-presidente, ele tem autonomia em sua seção. Nisso, Jenny liga para Efraim e ele conversa com Sofia, diz que sair da prisão não foi fácil, que ele teve que vender o carro, não consegue emprego e agora que Jenny tem a possibilidade de trabalhar, pede para que Sofia não seja tão cruel – a ex-mulher acaba concordando.

Marcela pergunta o que Armando vai fazer esta noite, ele diz que nem pensou nisso, Marcela vai jantar com Patrícia e Margarida e depois vai para o apartamento. As meninas do quartel também estão de saída para comemorar a presidência de Betty, mas Freddy se incomoda que Aura Maria diga que é uma noite só para mulheres. Berta também precisa convencer o marido a ficar com a filhinha. Armando chega e pergunta a Freddy o que vão fazer, descobre que vão ao “Santuário” e o doutor convida Freddy para tomar alguma coisa juntos.

Chegando no lugar, que é uma danceteria, as meninas perguntam do carro e por que Betty está “quebrada”, elas reclamam que Betty agora não pode andar sem carro e sem celular – e até insinuam que Betty poderia ajudá-las para terem seu próprio carro. Betty já diz que a empresa passa por um momento delicado. Depois de entrarem, Betty liga para casa, e claro que o pai a repreende, depois avisa Nicolas que ele está empregado, Betty lhe dará o cargo de presidente financeiro. Nicolas faz uma festa enorme e Julia aproveita para avisar a Hermes que ele se acostume que Betty é uma mulher importante e independente e não dependerá mais dele como antes.

As meninas estão todas curiosas para saber de tudo o que aconteceu, começam o interrogatório, mas Betty diz que há certas coisas que ela não pode contar, pois são confidenciais. A ex-feia explica que se envolveu em negócios ruins e que por isso Armando teve que renunciar e ela sair da empresa. Mas como ela não teve culpa sozinha, e para o bem das relações com os bancos e credores, pediram para que ela administrasse a empresa temporariamente.

Na conversa entre Armando e Freddy, Armando também admite que embargou a empresa, é verdade, e que agora é hora de Betty cuidar da empresa, mas ele tem certeza de que ela trabalhará muito bem. Freddy, já um pouco alterado pela bebida, diz que Armando deveria ter se consultado com ele, que ele entende das passarelas, que ele poderia dar conselhos, mas Armando tem um “geniozinho muito ruim”. Armando pergunta se Freddy tem algo contra Betty, ele nega, ainda mais agora que ela está “um pitéu, um manjar dos deuses”… mas Freddy também se preocupa com essas comemorações das meninas, Armando brinca se ele acha que Betty levará Aura para o mau caminho, Freddy comenta: “e vice-versa!”. Lamenta-se que gostaria de ver “sua rainha”, que precisa estar perto dela e conversar com ela, e Armando concordando. Até que Armando sugere procurarem na lista telefônica onde fica esse lugar que ele levará Freddy, já que o motoboy deixou seu veículo na empresa.

De volta à balada, Sandra pergunta por que o pai de Betty e Nicolas também foram à empresa, Betty diz que ela não queria voltar, mas eles foram conversar e também os advogados, sobre o que ela precisa assinar. Aura comenta que esses advogados já estiveram lá antes (na época do embargo), Betty simplesmente diz que agora são seus advogados. As meninas também comentam do casamento cancelado e da reconciliação de Armando e Marcela, concluem que só pode ter sido outra mulher e que Marcela sempre perdoa ele mesmo. Claro que Betty se sente desconfortável com tudo.

 

Ep. 162 (23/10/2013) – original colombiano Cap. 141

Marcela conta a Margarida e Patrícia que Betty está muito ressentida com Armando, pois pôde comprovar tudo que a carta dizia, e mesmo que Mário fosse contar que ele se apaixonou de verdade por Betty, ela jamais acreditaria. Marcela até admite que Betty está bonita mesmo, mas as únicas pessoas que sabem que Armando realmente se apaixonou por ela são as três e elas jamais abrirão o bico.

Chegando no Santuário, Freddy pega Aura Maria dançando com outro cara, ela diz que é “um primo”, Freddy diz que está tudo terminado, chama as meninas de traidoras… Armando também chega e tem um rapaz dando em cima de Betty, ela pede para que ele se retire e Armando também faz cara feia. Eles saem enquanto os mariacchis estão tocando, e antes de pegarem um táxi, Armando pede para conversar com Betty.

Armando lembra que depois que Betty pediu demissão, não puderam se falar mais; ele diz que não pode explicar aquela carta de Mário, mas as coisas não são como ela pensa. Betty responde que não precisa mais dar explicações, que ela cuidará da empresa e devolverá tudo; ainda conta para Armando que antes de voltar ela o perdoou, e agora também diz a ele que o perdoa até por ter ido chamá-la de ladra na porta de sua casa, mexendo com sua família, que é o mais sagrado para ela. Armando diz que estava desesperado, bateu contra o mundo e talvez precisasse disso, está aprendendo da maneira mais difícil, sabe que errou e diz que mudou… mas quando Armando diz para Betty que a ama, ela não acredita, diz que ele não mudou nada. Betty ainda pede para que ele pare de atormentar Marcela e que a deixe em paz, a conversa é interrompida pelo celular.

Antes de irem embora, Betty pede a todos que não comentem com ninguém que Armando esteve ali, principalmente para Marcela, porque elas sabem como ela é. Ao chegar em casa, Hermes repreende Betty, mas diz que entende que ela terá muitos compromissos… Betty conta à mãe sobre o que aconteceu em seu dia, e inclusive na danceteria. Dona Júlia indaga se Armando realmente está apaixonado pela filha, Betty retruca que ele é um manipulador, que a mãe não o conhece, ainda confirma que uma das condições para cuidar da empresa é que ele fique bem longe dela.

Armando chega no apartamento e Marcela conta da conversa com as amigas, diz que Margarida está muito preocupada. Armando fica chateado que a intimidade dele está na boca dos outros. Marcela provoca, diz que a mãe dele se preocupa, pois agora ficarão perto um do outro, e Betty voltou muito bonita… Armando diz que não há possibilidade de voltarem, aconteceram coisas imperdoáveis, Marcela diz que terminará de arrumar as coisas deixadas do casamento, o beija, mas eles não dormem juntos.

Enquanto isso, Betty escreve em seu diário que seu coração é um traidor, pois ele ainda bate forte e não reconhece outro traidor, é irracional e o cérebro não o domina.

Na manhã seguinte, Betty se arruma e a mãe lhe aconselha a levar o diário com ela, para que ninguém o encontre. Armando também está de saída e explica a Marcela que sim, vai se encontrar com Betty no tribunal, mas não estarão sozinhos, e depois ele resolverá alguns problemas com Mário. Nicolas e Hermes estão discutindo, como de praxe, pois Hermes diz que só tem que se reportar ao doutor Roberto Mendonça; quando Betty chega e ela conta a Nicolas que disse para o quartel na noite anterior que já não namoram, mas continuam bons amigos. Nicolas reclama que agora que ela ficou bonita não pode mostrá-la por aí, e pergunta se Betty sabe o que a espera nos próximos seis meses a que se comprometeu à EcoModa – ela diz que sim, mas agora terá o amigo para ajudá-la.

 

Ep. 163 (24/10/2013) – original colombiano Cap. 142

Doutor Sanchez explica a Armando que o juiz pode não aceitar a conciliação entre as duas empresas. Betty chega com o pai e Nicolas, Armando a observa e até quase esquece de cumprimentar o pai dela. Na sala do juiz, Armando explica que chegaram a um acordo exatamente para que a EcoModa não entre em leilão. O juiz confirma com as partes que, se houver outras desavenças, a justiça procederá diretamente ao leilão – Armando e Betty confirmam que entraram em acordo definitivo. Na saída, doutor Sanchez comenta sobre reconciliações, Sanchez insinua que ele continuará assessorando como advogados enquanto não terminar a causa, quando Betty afirma que sim, ele fica satisfeito. Seu assistente pede para Betty entregar um chocolate à Patrícia Fernandes. Depois de os advogados se despedirem, Armando pede para conversar com Betty sobre negócios, já que o pessoal eles já resolveram na noite anterior. Betty ouve, ele fala de suas obrigações, foi tudo sua culpa e não pode ficar de braços cruzados, pede por uma sala na EcoModa, talvez Mário e uma secretária, pois tem uma estratégia de negócios. Armando diz que entende se ela não quer vê-lo mais, Betty acaba consentindo com a sala, só pede para que ele se mantenha longe dela.

Patrícia pega ônibus para ir à EcoModa! Reclama que não há cavalheiros quando lhe é roubado o assento, faz um escarcéu para descer do ônibus, diz até que vai contar ao prefeito, que foi seu professor na SanMarino (hahaha), mas quando vê o quartel das feias pede para o motorista parar no próximo ponto…

Já as meninas comentam como a história que Betty contou é estranha, Aura Maria acha muito estranho o embargo e chegam até a desconfiar se não houve algo de amoroso entre Armando e Betty… Na empresa, Marcela cobra o atraso das meninas, diz que só porque estavam com a presidente acham que podem levar a empresa a seu bel-prazer, mas elas não são acionistas e até a presidente tem que responder ao regulamento interno da empresa. Patrícia também chega atrasada e tenta sair de fininho da conversa, mas Sandra lembra Marcela que o regulamento vale para todas. Gutierrez diz que é a terceira advertência das meninas e que por isso serão demitidas, elas querem esperar Betty chegar para ver quem é que vai sair. Paty as provoca e fala da “Garfield”, bem na hora em que Betty chega. Hermes pergunta por que tal pessoa a trata tão mal, deveria demiti-la logo. Betty aproveita para anunciar que Nicolas será o novo presidente financeiro. Sofia zomba de Paty, falando da mão suja dela e da meia desfiada – a loira sai correndo.

Paty vai conversar na sala de Marcela, contando do drama de sua manhã (ter vindo de ônibus) e pedindo para Marcela se impor, pois até advertência ela deixou a amiga tomar – mas Marcela diz que ela merece, pois se atrasou mesmo. Patrícia pergunta à Marcie o que ela aconselha para que sua situação mude, Marcela diz que não pode fazer nada e que todos dependem só de Beatriz nesse momento. Patrícia deturpa um pouco o que as meninas falaram, enquanto isso, o quartel conta à Betty sobre a demissão e também pede para ela não se deixe humilhar de novo, tem que assumir o controle. Gutierrez chega de novo no corredor e Betty avisa a ele que nada está resolvido sem antes passar pelo seu consentimento. Antes de mostrar a sala para Nicolas e o pai, Betty pede a Gutierrez que pare de olhar para ela “desse jeito” – o “gutiguti” diz que ela ficou muito bonita e faz biquinho… Betty também tinha avisado as meninas que não sabe se vai poder resolver a situação delas, e pede para Patrícia avisar Marcela sobre a reunião – Paty chama Marcela dizendo que é uma ordem… diz ainda que Betty pediu para as meninas voltarem ao trabalho, que ela vai passar por cima de Marcela como um trator!

(!) Betty tropeça com o salto e dá risada – isso seria assim na vida real!

(!) Paty, depois de descer do ônibus: “eu não sirvo para ser pobre!”

 

 

Ep. 164 (25/10/2013) – original colombiano Cap. 143

Gutierrez mostra a antiga sala do doutor Olarte para Nicolas, que se acomoda e já pergunta se terá secretária. Hugo aparece perguntando sobre o problema da modelo de molde, Betty diz que vão convocar um comitê e que é para ele ficar a postos, mas o estilista finge que não ouve nada; Hermes o cutuca, Hugo diz que entende que seu Hermes está ali a pedido de Roberto, mas que a área de números e a dele são separadas, e sai fazendo “bzzz”. Hermes pergunta à filha por que ela se deixa tratar desse jeito, Betty fala que tinha avisado, essa não é uma empresa fácil de administrar, mas declara que não será a mesma que se deixava humilhar, as coisas estão para mudar.

Gutierrez os leva até a presidência, Betty vê a foto de Armando e Marcela. Gutierrez diz que teria a sala de Calderón para seu Hermes, mas Betty pede para que não mexam nessa sala. O pai vê a salinha escura no fundo, pergunta quem trabalhava ali “o fantasma da ópera?”, Betty admite que era ela, Hermes fica bravo que tenha pagado faculdade e especializações para que ela ficasse enfiada em um canto desses… mas Betty começa a dizer que não é tão ruim, mostra o computador e depois pede para Sofia ensinar um pouco sobre os programas, como mexer nos dados. Gutierrez depois vem avisar que encontrou uma sala, mas Hermes alega que se a filha aguentou tantas horas de trabalho ali, eles são feitos da mesma carne e ele aguenta também, fora isso, pode ficar perto da filha…

Na sala de Calderón, Armando conversa com o amigo que tentou conversar com Betty, mas ela com razão não confia nele e continua ressentida. Calderón tem a teoria de que as mulheres não esquecem de uma paixão tão fácil assim, quanto mais sofrem mais se apaixonam, depois ficam se lamentando com as amigas, vide a Marcela, que se Armando a pedisse em casamento, casaria logo. Armando diz que não é bem assim, ele não fez Marcela sofrer tanto quanto fez mal a Betty, e essa Betty que voltou é outra, que ela não é uma mulher “convencional”.

Patrícia avisa Marcela que “é pra ir já para a sala de reuniões”, Marcela se irrita e Paty diz para Marcie acabar com a outra e de quebra garantir seu emprego, para que a dívida com ela não se torne “eterrrna”. Sandra massageia os ombros de Betty como se fosse à luta. Na sala de reuniões, o embate fica claro com cada uma se sentando em uma extremidade diferente da mesa, Marcela logo deixa claro que não vai deixar que Betty passe por cima dela; Betty diz que Marcela pode ser a presidente se quiser, reclama que não a nomearam para continuarem humilhando-a, que a respeitem. Marcela diz que ela não pode mudar do dia para a noite as normas da empresa e deixar as funcionárias chegarem na hora em que quiserem. Betty conta dos dilemas de cada empregada, Marcela diz que não podem manter funcionários só porque tem dramas financeiros, que as duas nunca chegarão a um acordo; Betty concorda, mas ambas sabem que as duas tem que ficar na empresa no momento. Betty responde que o que mais a incomodou foi que comemoravam sua nomeação, todas as meninas respeitam Marcela como alguém justo que sempre as defendeu, caso contrário, Patrícia também teria que ser demitida; Marcela pergunta se é uma ameaça, caso saiam as do quartel, Patrícia também? Betty sugere que está armada uma “batalha campal” entre as meninas e que não podem continuar encorajando isso com favoritismos, que elas também devem se falar diretamente para evitar que recebam recados interpretados de forma errada. Betty sugere descontarem um dia de salário ao invés de demiti-las, e isso inclui Paty.

As meninas ficam ouvindo atrás da porta, provocam Patrícia, quando Betty pede para a oxigenada chamar os executivos, Paty atende com uma voz xoxa e Betty pergunta o que aconteceu, a loira diz que já sabe que vai demiti-la, mas Betty diz que nada foi decidido e elas serão comunicadas no momento certo.

Armando e Mário chegam para o comitê, Mário vai cumprimentar Betty tocando-a no ombro e a nova presidente tem ódio no olhar… levanta-se, agarra-o pelo colarinho e grita para que ele nunca mais a toque, pois ele é sujo demais, com todas aquelas cartas asquerosas! Claro que é a imaginação de Betty trabalhando! Na realidade, nada acontece, exceto Armando tentando se explicar com Marcela sobre a ideia de ficarem na sala de Mário, Marcela diz que Betty já a inteirou de tudo. Patrícia vai chamar Gutierrez e depois Nicolas, que diz que ele e Betty terminaram há tempos, mas civilizadamente, como pessoas do “novo milênio” (lembrando que essa novela passou primeiro em 1999), Paty joga os cabelos dizendo que não lhe interessa. Ao chamar Hugo, porém, o estilista diz que não reconhece a presidente e só responderá à “Margie”. Ao saber disso, Betty diz que farão o comitê sem ele; ao que Marcela se levanta furiosa e liga para Hugo ordenando para que ele venha já. Depois de sua chegada, Hugo comenta que ele também poderia ser presidente e Marcela concorda, diz que não é necessário nenhuma qualidade para ser presidente dessa empresa… Betty começa a reunião dizendo que ela foi eleita temporariamente, por 6 meses, mas que ela pretende resolver a situação o mais rápido possível.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s