Audiovisual – semana #8

Se na sexta teve barzinho com puquianos (e eu, que tinha dito pro meu irmão que voltaria pra casa umas 21:30, cheguei obviamente à 00:30), dá pra entender porque no sábado pelo menos duas pessoas me disseram que eu estava com a “aparência cansada”… Domingo corrido o dia todo, pra variar, e o tempo também vira em São Paulo durante a semana – mas surpreendentemente, sobrevivo firme e forte sem resfriado. Terça-feira eu até tentei ir ver a Isabelle Huppert lá no Varilux, só o que vi foi um rapaz com buquê de rosas vermelhas esperando por ela. E a pergunta que fica hoje (já com o varal de chão na sala): será que em uma semana vou conseguir ler “O discurso cinematográfico” (XAVIER, Ismail) e empacotar a casa inteira pra mudar? Sorte pra mim, pra você, e boa páscoa!

14/04

(História do cinema)

Freud e o inconsciente. Surrealismo: Luis Buñuel, Garcia Lorca e Salvador Dali dividindo a república de estudantes… Vimos “Um cão andaluz” (1929), yeeey! E depois “A idade do ouro” (1930).

 

15/04

(Projeto integrador)

Continuamos vendo a decupagem de uma cena de um filme do Coppola. Sobre a importância da análise técnica, exemplos de como precisamos descrever os materiais ou demais gastos previstos. E também mais um pouquinho sobre direitos autorais (ex: só 70 anos depois que o artista morre é que entra em domínio público…)

 

(Introdução à direção)

Vimos mais alguns vídeos dos alunos, daquele exercício proposto (mostrar a si mesmo em imagens). Comentários da professora sobre conceito, necessário para passar do conteúdo à forma. E se uma outra pessoa fosse mostrar imagens do colega? E se fôssemos refazer o vídeo, como poderíamos mudá-lo (agora que já vimos diversas outras formas de fazê-lo).

 

16/04

(Tecnologia do audiovisual)

Seminário sobre som direto. Como era captado o som inicialmente (caminhões, geradores, dificuldade de fazer externas), a evolução dos aparatos, Ampex, Nagra, um pouco sobre Dolby, DAT, o Cinema Novo. E vimos um trecho de “Cinema Verite” (2011), que trata do reality show “An American family”; sobre Wilhelm scream e a dica para os clipes “musicless”.

 

(Fundamentos da imagem)

Retomamos as principais características de uma decupagem clássica, para abordar melhor sobre o Naturalismo x Realismo. Pudovkin e Béla Balàzs.

 

17/04

(faltei, pra ver se consigo adiantar a arrumação da mudança… que nada!)

 

18/04

(feriado! Sexta-feira da paixão)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s