Boyhood

(Boyhood / 2014) ****

2014-boyhood

Historinha: os anos de amadurecimento com as voltas da vida.

:D – vocês conseguiriam elaborar um projeto e seguir com ele por 12 anos? O diretor Richard Linklater já tinha aproveitado as melhores qualidades da passagem do tempo no relacionamento entre Jesse e Celine, tendo paciência para sua trilogia – Antes do amanhecer (1995), Antes do por-do-sol (2004), Antes da meia-noite (2013). Aqui, ele aborda a trajetória de um garoto, mas continua sábio na observação da vida em suas diversas nuances, levando-nos a também parar para observar e sentir, de forma naturalista e orgânica. Além disso, há traços comuns no pai representado por Ethan Hawke e do próprio ator, e o do diretor(!). Isso nos faz imaginar o quão pessoal este projeto deve ter sido, e passá-lo com tamanha delicadeza e carinho para nós é um privilégio de espectador.

– montagem que respeita o ritmo dos momentos a serem enfatizados (a garrafa sendo escondida pra depois o padrasto explodir de raiva explicitamente bebendo na mesa de jantar), ângulos que valorizam a questão de observação (quantas vezes percebemos o olhar do garoto e nos colocamos no lugar dele?), Texas e armas, religiosidade com desenho de produção sem alarde (como pede o projeto).

– as brigas entre irmãos tão típicas da infância, os amigos babacas, a época em que a gente acha que precisa provar algo, aquela paixão da juventude que acaba com a gente quando não dá certo. Um roteiro que cabe na vida de tantos, e vermos as mudanças físicas reais contribui para sentirmos esses personagens como pessoas de verdade. Os atores estão ótimos, abraçando mesmo o projeto (até mesmo a filha do diretor, que quis sair, não destoa tanto). Pais separados, mudanças de casa, novas pessoas que entram e saem da vida, perspectivas que mudam. Tão certeira a cena em que a personagem de Patricia Arquette, depois de casamentos falidos (e pelo vício da bebida, repetido, assim como na nossa vida alguns problemas também se repetem), chora e desabafa ao filho que a vida dela passou e não era pra ser assim…

 

Boyhood foi indicado a melhor montagem, roteiro original, atriz e ator coadjuvantes, direção e filme. Eu daria o Oscar pro diretor, mas sei que o Wes Anderson anda em alta…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s