Oscar 2015 – bora que meu ano não começa só depois do carnaval

(Post atualizado em 26/02/2015)

Chega de comer bobagens, que eu passei as últimas semanas gastando demais com cinema (e este ano especificamente, comendo mal). Que bom que o Carnaval também já passou, e finalmente vamos poder começar o ano de verdade! Finalmente vou parar com essa loucura e voltar aos meus afazeres, tudo voltando ao “normal”, tentar estudar, fazer dieta e comer coisas saudáveis, planejar a próxima viagem. Incrível, acho que este é o primeiro ano em que eu quero que o Oscar passe logo!

No último ano eu não consegui ver o Leo, nem o Miyazaki (sem festa pra mim). Mas foi bem legal acompanhar pelo twitter, com a Ana Maria Bahiana e outros (e o da Academia, e ver o selfie da Ellen), tanto que quero repetir.

Bem, aqui vão os meus votos, e como de praxe, aviso que não são os que eu acho que vão levar, são os que eu daria, com certeza a lista dos ganhadores será bem diferente!

* * *

A festa passou e este ano eu achei mais previsível ainda do que os anteriores – acho que finalmente incorporei mesmo a mentalidade da Academia…

Novamente, volto a frisar que é ridículo o que o canal Globo faz, cortando a festa para menos da metade para passar “Big Brother”. Tudo bem que o programa deve dar ibope, mas custava abrir só essa noite específica, já que compraram os direitos pra passar o Oscar em TV aberta? #globofails e é um desrespeito com o espectador. Eu já não assisto mais Globo normalmente, imagina com essas. Pelo menos colocaram o Lázaro Ramos e um crítico decente pra comentar (não que eu vá criticar aqui o José Wilker, que é um querido pra mim, apesar dos pesares, com o perdão do trocadilho).

Ou seja, só nos resta esquecer que essa emissora divulga o Oscar, boicotar de vez e tentar o streaming, pra quem não tem canal pago. E, além disso, como fiz ano passado também: é muito divertido acompanhar o twitter, com uma galera louca fazendo os comentários! Pena que este ano não teve selfie.

Acho que estou ficando velha e achei a festa bem chata. Tá, teve o Neil Patrick Harris de cueca correndo pra lembrar Birdman – isso foi bem corajoso da parte dele, vai. E o “in memorian” nos lembrou como 2014 teve perdas, mais do que outros anos (e mesmo assim faltou gente ali). De resto? Achei tudo muito certinho, previsível, e o Oscar 2015 vai ficar lembrado como aquele dos discursos bem intencionados – Meryl Streep incentivando o discurso da Patricia Arquette sobre direitos das mulheres foi fenomenal! “Stay weird”, e ainda teve sobre vítimas de doença, discurso para negros, para a comunidade latina, pra todo mundo mesmo.

Os ganhadores estão destacados em azul abaixo. E vocês querem saber a real, a realidade mesmo desses prêmios de cinema? Meu amigo da “Toca do cinéfilo” escreveu um post ótimo, que explica tudo, a vida como ela é.

Melhor curta documentário: White Earth (eu não vi, mas o tema da mulher que busca trabalho com petróleo e o questionamento do American dream me pareceu interessante). / Crisis Hotline: Veteran Press 1 (previsível)

Melhor curta de ficção: Parvaneh (novamente não vi, mas parece pertinente mostrar uma imigrante Afegã e as burocracias a enfrentar) / The phone call (não gostei muito desse prêmio)

Melhor curta animado: The bigger picture (O Banquete, com o cãozinho que prefere comida saudável e ver seu dono feliz, é simplesmente adorável e deve levar porque é aquele que a maioria deve lembrar. Mas a técnica e conceito em The bigger picture parece bastante interessante) / O banquete (claro)

Melhor documentário: O sal da Terra (é claaaro que este seria o meu voto!!!) / Citizenfour (o favorito mesmo)

Melhores efeitos visuais: Interestelar / Interestelar (previsível)

Melhor edição de som: Sniper Americano (difííícil!) / Sniper Americano (menos óbvio)

Melhor mixagem de som: Whiplash / Whiplash (a única surpresa da noite? Não pra mim)

Melhor trilha sonora:  O Grande Hotel Budapeste / O grande hotel Budapeste (esse eu não sabia que ia acertar, juro)

Melhor canção original: “Everything is awesome” de Uma aventura Lego (desculpa aí, Martin Luther King, mas essa canção ficou semanas na minha cabeça e “Glory” eu já até esqueci) / Selma (óóóbvio…)

Melhor maquiagem e cabelo: Guardiões da Galáxia (prêmio consolação) / O grande hotel Budapeste (ok)

Melhor figurino: O grande hotel Budapeste / O grande hotel Budapeste (claro)

Melhor desenho de produção (direção de arte): O grande hotel Budapeste (vai dizer que vocês não ficaram com vontade de conhecer esse hotel?) / O grande hotel Budapeste (preciso de um sinônimo para “óbvio”)

Melhor edição (montagem): Whiplash (porque batera tem certo ritmo e tal, né. E o feeling, e o olhar certo no momento certo?) / Whiplash (outra surpresa? mas por quê? a montagem é legalzinha mesmo)

Melhor fotografia: Birdman (é luz de teatro, de NY na Times Square, de barzinho frequentado por críticos, de super-herói voando…) / Birdman (claro)

Melhor filme estrangeiro: Timbuktu (Ida e Leviatã são ótimos sim, mas esse pra mim foi mais belo) / Ida (era esse ou Leviatã, não tinha jeito)

Melhor animação (longa): Operação Big Hero (A princesa Kaguya é lindíssimo, mas um filme popular que faz as crianças quererem estudar e as ajudam a entender perdas? Tem que ser Disney. Fora que o Baymax é muito fofo e todo mundo queria ter um em casa.) / Operação Big Hero (ahahahah este ano eu tava bem mesmo)

Melhor roteiro adaptado: O jogo da imitação / O jogo da imitação (por que não participei de bolão?)

Melhor roteiro original: Birdman / Birdman (cansaram? eu também.)

Melhor atriz coadjuvante: Patricia Arquette (não tem pra mais ninguém) / Patricia Arquette

Melhor ator coadjuvante: J.K. Simmons (não tem mesmo) / J.K. Simmons

Melhor atriz: Julianne Moore (porque ela já fez tanta coisa legal e nunca ganhou um. Senão, seria Marion Cotillard, não?) / Julianne Moore

Melhor ator: Eddie Redmayne (este ano eu achei todos os concorrentes muito bem em cena, e não ficaria triste até se o Michael Keaton – quem diria! – levasse.) / Eddie Redmayne

Melhor direção: Richard Linklater / Alejandro González Iñarritu (e lá se vai a chance do Leo DiCaprio ganhar ano que vem por The Revenant? Desculpem, foi só isso que pensei na hora)

Melhor filme: Birdman / Birdman

Isso é tudo, pessoal! Boa festa e que tenhamos um ótimo ano nos cinemas!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s