Bojack Horseman

É muito difícil eu conseguir tirar folga quando o resto do mundo também está de feriado, ainda mais três dias seguidos assim. Decidi que vou aproveitar para “resgatar” alguns posts antigos e neste mês de Abril, que falamos em renascimento espiritual no meu budismo, talvez possamos promover também um “renascimento” do blog?

* * *

Bem, nas últimas férias, eu peguei algumas séries para assistir, conforme eu tinha comentado. Pra começar esta série de posts resgatados do meu limbo, aqui vai o registro de uma série que não é para todos, mas que me divertiu um bocado (e o post era pra ter saído no início de fevereiro).

Bojack Horseman é uma série original do Netflix, em desenho animado, mas bem incorreta, fazendo piada dos bastidores das celebridades de Hollywood.

2014-bojackhorseman

* * *

S01e01 – BoJack é um cavalo meio-homem que foi famoso em uma série há 18 anos e tem que escrever um livro sobre sua vida. :D: o primeiro episódio é regular, humor para adultos, mas aquele negócio norte-americano de fazer humor, meio escatológico (com piada de vômito de algodão-doce e sexo). Ótima referência a editora dos pinguins! ^^ “Quando foi a última vez que você viu um livro?”

S01e02 – BoJack pega os muffins de uma foca que serviu na Marinha, no Afeganistão, e é exposto pela TV, tendo que se redimir por um reality show. Todd tenta namorar uma japonesa online, Diane tenta saber da infância de BoJack. :D: o segundo episódio catapulta a qualidade do sarcasmo e ironia, incluindo crítica social em meio a uma situação absurda, e acho que foi por ele que realmente quis continuar a ver a série. Engraçado como incorporam traços característicos dos animais no comportamento dos personagens (como quando BoJack suspira depois do sexo, as orelhas do Mr. Peanutbutter levantam em alerta quando toca a campainha, a som do Neal choramingando combina com o que as focas fazem). O melhor do episódio é realmente o sensacionalismo da mídia misturado à crítica à exaltação da guerra (que garante a paz?).

“Você nem conseguiu pra mim uma ponta em Cavalo de Guerra

S01e03 – BoJack reencontra uma antiga colega de série que era uma garotinha, mas cresceu nessa cultura de celebridades. :D: como recriaram bem aquele típico visual das séries dos anos 80 pra 90 no início! Ficamos até com dó do Todd, que sempre morou lá, nunca ganhou panquecas de chocolate, e fica recolhendo os cacos do apartamento. Muito gatuna a agente que tenta conseguir representação e escala o muro pra pular – como os gatos fazem mesmo. Ousado colocarem a piada de que são apenas dois estranhos e se envolverem sexualmente (e o Todd disgusted com essa situação é a MINHA reação). A crítica a essas estrelas mirins que depois querem provar que podem ser sexy, se envolvem com drogas e reabilitação – mas a culpa é da “sociedade”!

S01e04 – Wayne, ex-namorado de Diane, está escrevendo um artigo pra revista sobre Mr. Peanutbutter, afirma que como no programa de TV (muito parecido com o de BoJack) todos tem um lado Zoe ou Zelda. BoJack tenta ajudar Todd a realizar sua ópera “Novatopia”, mas Todd era viciado em um video-game e diante da possibilidade de ser um sucesso, BoJack tira vantagem. :D – a crítica ao Halloween como data para incentivar o consumo de açúcar e fantasias que podem gerar preconceito. Os comentários diretos de BoJack sobre como a ópera de Todd é ruim, Todd acha que ele não estava ouvindo, até que eles “pensam a mesma coisa” (e é uma frase enooorme!). A loja de jogos chama “Beast Buy” ^^

S01e05 – O pai de Diane morre e ela volta para casa, sua família disfuncional acaba cortando o pai em iscas. Em LA, Todd finge que a casa é do Boranz (de qual série?) e tenta ganhar uma grana com tours. :D – quando Bojack fala da superficialidade de Los Angeles, e Melissa Leo e esses irmãos me fizeram lembrar de O vencedor (2010).

S01e06 – Todd está na prisão e é disputado por 2 gangues. Bojack ignora o fato completamente, pois está ocupado não admitindo os sentimentos por Diane. Numa disputa infantil com Peanutbutter, ele acaba roubando o “D” de Hollywood, mas o cachorro transforma isso no maior ato romântico e pede Diane em casamento.

S01e07 – BoJack está curtindo a fossa pelo noivado de Diane e tenta reconquistar PC (Princess Carolyn? Pussy Cat?), enquanto Todd acaba com o papel na propaganda de uísque. PC parece estar perdendo profissionalmente para Vanessa Gekko, mas no final do dia ela consegue um filme para Cameron Crowe (piada de corvo!), Cate Blanchett de volta e uma comédia romântica para BoJack – mas a notificação de aniversário não é das mais felizes. :D – os quadros de pintores famosos, mas com animais! Quentin Tarantulino ^ ^. Como mostrar uma humanidade (apesar de serem animais).

S01e08 – BoJack vai até Malibu visitar um antigo amigo que está com câncer e relembra seu passado, quando eram os anos 80, eram comediantes e conseguiram uma série de sucesso juntos. :D – a diferença de estilos entre os anos 80 e 90 (o telefone gigante, a época em que a sociedade ainda não aceitava os gays, quadros semelhantes aos do Keith Heiring). A “conversa” com Angela Diaz explicando que BoJack é uma estrela, mas para o show continuar Herb tinha que ir. Todd sem conseguir manobrar e sendo roubado por duas garotas, e sendo deixado pra trás.

S01e09 – Diane e BoJack preferem não falar do beijo e BoJack decide sabotar o casamento. Ao tentar incriminar Peanutbutter, Todd acaba como seu motorista. Margot é contratada pra fingir que rouba um banco (“Esse é o papel da minha vida!”), e isso só acaba antecipando o casamento. :D – a teia de pensamento completamente louca de Todd até descobrir que BoJack sabotou seu sonho de ópera!

S01e10 – Após o casamento, BoJack está fazendo um filme em que ele faz Peanutbutter – e quem faz BoJack é um “homem careca de 50 anos” (Wallace Shawn). Diane é interpretada por Naomi Watts, que está cansada de fazer “mulheres tridimensionais e complexas”! O diretor é Quentin Tarantulino (adoro os múltiplos braços e a velocidade da voz). O livro de Diane fica pronto, mas traz todo o lado ruim de BoJack.:D – assim como deve acontecer de verdade em Hollywood, um filme simples vai mudando e tomando proporções ridículas!

S01e11 – BoJack não aceita a versão do livro escrita por Diane e decide escrever sua própria. :D – A comum procrastinação: BoJack brincando com as fontes, encontrando desculpas em casa pra não trabalhar (aspiradores de pó!) – será que todos os escritores sofrem disso em algum momento? E a sequência em que estão drogados, a melhor da série! Arma de vassouras, Diane um monstro, correndo pela mente (como em Brilho eterno de uma mente sem lembranças?), o subconsciente com Sarah Lynn, a versão Charlie Brown da Diane – hahaha (e do Mr. Peanutbutter); a vida pacata e agradável que poderia ter sido com Charlotte.

S01e12 – BoJack ganha um Golden Globe por seu livro (?!) ^^ “vocês assistem aos filmes?”. Diane é convidada a escrever sobre um filantropo aventureiro. BoJack quer fazer Secretariat. :D – o verdadeiro filme tem a Margot Martindale! O problema das ideias de Peanutbutter e Todd é que elas não têm um “ground floor” e as pessoas caindo na loja de Halloween… inclusive Garfield! BoJack não larga seu Golden Globe.

* * *

E mais! As principais vozes da série são de atores famosos das séries norte-americanas ^^

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s