Mad Men – S01 e04-07

Estou na metade da primeira temporada de Mad Men e chego à conclusão de que esta é uma série horrível. Tooodo mundo fuma, até as mulheres grávidas fumam, é um universo machista em que é óbvio que os homens saem com várias mulheres (mas a esposa de Don não pode dar umas risadas a mais), os homens bebem demais e ainda dirigem, trata-se de dinheiro e não de talento ou de verdades.

Mas daí a gente lembra que essa era uma outra época. Nova Iorque dos anos 60 e os modos da sociedade ainda eram outros. Embora o nosso homem de negócios asseado é também falho, e alguns questionamentos de vida não se delimitam a tempo e espaço. Neste momento da série ainda estamos começando a perceber isso. E tudo é mostrado por um pacote bem envolvente.

Falando um pouco da parte técnica, eu lia um artigo esta semana sobre como a série marcou a história da televisão norte-americana. Não só por ser um produto de qualidade em termos artísticos, mas também nos negócios. Os direitos de transmissão e o impulso para canais de streaming, como o Netflix por exemplo, passarem a criar suas próprias séries de qualidade.

E eu estava vendo aqui, 2011 simplesmente não teve série, por contendas entre o criador e a produtora/distribuidora?. E esta última temporada (7), que eu achava que terminaria em junho, na verdade termina em maio já (porque metade dos episódios foram pro ar ano passado). Confuso. Prefiro ficar mais alheia às contendas de bastidores e continuar assistindo. De qualquer forma, terei as férias de julho também para terminar todas as 7 temporadas! Avante e sempre.

* * *

S01e04 – New Amsterdam

Trudy quer um apartamento novo e Pete até pede dinheiro emprestado ao pai, que nega. Na empresa, ele sempre tem que entreter os clientes socialmente, mas acredita que tenha boas ideias, solta uma para Bethlehem Steel e o cliente acaba gostando. Don quer despedi-lo, mas percebe que os contatos de uma família tradicional podem contar muito ainda, nessa NY anos 60 (:D – eles tiram os sapatos para entrar na sala do chefão, decorada com toques orientais!). Sterlling faz Pete acreditar que deve ser submisso a Don por não perder o emprego, e o rapaz ainda tem que aceitar o dinheiro dos pais da esposa para o apartamento.

S01e05 – 5G

Cosgrove tem um artigo publicado numa revista de tiragem nacional e Pete pede à esposa Trudy que tente fazer com que um de seus textos seja publicado, por um contato que ela têm – seu primeiro namorado. Aparece na vida de Don o irmão que achou que Don tinha morrido, Adam. Aparentemente, o passado de Don esconde algumas coisas, pois ele finge que não o conhece, sente o impacto do reencontro e oferece 5 mil para o outro desaparecer de novo da sua vida. :D – ótima a cena em que ele prepara o café da manhã para Betty (Dia das mães) associando ao momento em que era criança e nasceu Adam, ligado a princípio por um cair da escada e também pelo tema maternidade.

S01e06 – Babylon

As garotas da Sterling & Cooper tem a chance de participar de testes com batons, e são observadas através de um espelho falso pelos homens da empresa. Peggy surpreende um dos supervisores com uma boa ideia, “cesta de beijos” / você não quer ser 100, você quer ser única (bem verdade!). Enquanto isso, Don almoça com Rachel Menken supostamente para saber mais sobre judeus. [mas ele já não tem Betty, e aquela amante (Rosemarie DeWitt) moderninha? Aliás, ângulo de quadro perfeito, com Don olhando para as pernas da mulher, a imaginação é bem mais forte que a concepção]

S01e07 – Red in the face

Joan prefere ir passear com a amiga do que sair com Sterling e ele acaba indo jantar na casa de Don. Um pouco de bebida demais, talvez achemos obtuso sua abordagem a Betty, mas nem tanto quando Draper vai questioná-la depois. Pete tenta trocar um presente de casamento, fracassa em ser charmoso com a atendente, é repreendido pela esposa por ter trocado por um “brinquedo”, e quando Peggy vem lhe entregar seu texto para revisar, ele conta a ela uma fantasia [muito apropriadamente tem a ver com caça e masculinidade exacerbadamente comprovada, um texto inteligente que tem tudo a ver com os anseios íntimos do personagem.] E depois de muitas ostras e bebida, 23 andares de escada (Roger ficando gradualmente pior), Sterling passa mal antes mesmo do encontro com o pessoal de Nixon – um pouquinho de bebida demais. :D – o sorrisinho de Draper saindo de cena. Que episódio!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s