Mad Men – S01e08-13

Terminando a primeira temporada de Mad Men! Yey!

Sim, eu deveria estar lendo, vendo um filme por dia, escrevendo o artigo acadêmico, me preocupando com a arte do curta que ainda tem muita coisa não decidida… mas eu não resisti terminar pelo menos uma temporada.

Mad Men ainda não bateu Battlestar Gallactica, que sempre terá um lugar mais que especial no meu core, mas é uma série sólida, com personagens complexos, bons roteiros e bons atores, impecável direção de arte, fotografia de cinema, elegante, crítica, pensadora, classuda.

Ainda não sei se vou ter fôlego pras outras 6 temporadas, porque eu tô é com vontade de ver filmes, e o tempo é escasso, e sabe-se lá. Enfim. Aqui jaz a primeira.

– – – – –

S01e08 – The hobo code

Peggy e Pete chegam mais cedo na firma e se entranham no escritório [sombras contra luz – clássico, mas ainda um plano interessante]. A telefonista Lois se interessa por Salvatore Romano, que gosta de um jantar, mas não cede à si próprio no hotel. Don recebe um bônus, quer ir para Paris, mas com baseado e amigos de Midge, ele relembra de quando era garoto e um andarilho recebeu comida de sua família. Na festa de Peggy, Pete diz não gostar de como ela dança… ui.

S01e09 – Shoot

Don recebe oferta da Erickson para mudar de empresa, num entreato de ópera sua esposa também é convidada a voltar a posar de modelo. Enquanto Pete fica ouvindo comentários sacanas dos colegas sobre Peggy, esta mostra orgulho em ter escrito algo (e não só tentar mostrar um corpitcho pros rapazes).  Descobrimos que Betty tem raiva da mãe, a reprodução de suas fotos para campanha da Coca realmente parece real e ela sabe atirar além de cuidar dos filhos, senhoras e senhores!

S01e10 – Long weekend

Roger quer passar o feriado com Joan, mas ela viu Se meu apartamento falasse (1960) e prefere sair com sua amiga – que se declara e Joan prefere a classe e não o drama [séries inteligentes são assim, né gente]. Então Sterling pede ajuda de Don para se divertir com umas gêmeas bonitas – até ele passar mal e seguir para o hospital. Deixa para Draper buscar consolo em Menken, para quem ele realmente se abre e vemos que seu passado não teve nada desse glamour atual.

S01e11 – Indian Summer

Peggy tem que escrever sobre uma invencionice para perder peso (na verdade, serve para um outro tipo de prazer à mulher). Roger é chamado para uma reunião, mas passa mal e isso leva Cooper a convidar Don a ser sócio. Com o marido distante, Betty quase leva ao quarto o vendedor de ar condicionado – não, mas ele chega à lavanderia [E eu lembrei do brasileiro Kleber Mendonça Filho…]. Pete ansioso para uma promoção intercepta um pacote do irmão perdido de Don, Adam, antes deste chutar a cadeira.

S02e12 – Nixon x Kennedy

O pessoal da Sterling Cooper arma uma festinha pra acompanhar as eleições, regada a licor de menta, sexo e vergonha: Henry passa a noite com Hildy; Paul escreveu uma peça e dança com Joan; já de manhã, Peggy, que toda certinha não ficou pra festa, está indignada com a bagunça, denuncia e faz duas pessoas inocentes serem despedidas. Seu desabafo sobre fazer tudo certo, mas as pessoas que mentem se safarem, tem tudo a ver com o que Draper enfrenta. Ao ser chantageado por Pete sobre sua verdadeira identidade, flashbacks da guerra [e que direção de arte, minha gente, na série toda, diga-se de passagem], um momento de fraqueza com Rachel chorando, enfrentamento com Cooper: “e quem se importa?”

“You’re a coward. You don’t want to run away with me. You just want to run away”

S02e13 – The wheel

O novo diretor de contas, Duck, faz uma pressão para os rapazes conseguirem novas contas. Pete também é pressionado pelo sogro a uma “produção”, e numa contenda com Don, sua conta é designada para Peggy, promovida. E como Peggy pode ter dado à luz sem nem ter sabido da gravidez?!! Episódio todo família, Don descobre que o meio-irmão se matou, Betty descobre que Don ligou para seu terapeuta e no divã admite que seria mais feliz se o marido não a traísse, talvez ela não seja suficiente?/talvez seja ele. Ao pensar sobre um projetor Kodack, Don dá a volta reinventando a roda como um carrossel – e que bela maneira de conhecermos melhor a história do casamento de Draper e Betty! [acompanhamos as fotos com interesse, com ternura, percebendo que só estamos conhecendo agora esse lado da história] É feriado de Ação de Graças e bem que ficamos felizes quando ele se redime com Betty e os filhos. Mas… esta é uma série séria, e não um comercial de propaganda da vida perfeita.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s