Uma cena: Ponte dos espiões

Eu sei que é criancisse minha, mas eu gostava mais do Spielberg fantasioso, do garoto que curte aliens e imaginar aventuras – foi com esse que eu cresci. O garoto cresceu, fez seus filmes sérios, sempre com um estilo de filmar de cinema mais clássico. Mas eu sou a menina que não queria envelhecer e continuo gostando mais daquele.

Dentre todos esses últimos trabalhos sérios, este Ponte dos espiões (Bridge of spies / 2015)** me pareceu o mais fraquinho, e até uma piada de mau gosto ter sido indicado ao Oscar de melhor filme, quando ele teve tantos trabalhos bons no currículo… enfim, não que seja ruim, é um bom filme, só não me instigou muito – tanto que, confesso, deixei passar quando estava em cartaz nas telas grandes.

A historinha é de um advogado que primeiro tem que defender um espião soviético em terras norte-americanas, e depois coordena sua troca por outro prisioneiro político do lado de lá.

Gosto da sensibilidade, de mostrar como o espião é um artista, exímio no desenho e na pintura, e na calma desse personagem. Se fica uma sensação de heroísmo americano exacerbado no geral, pelo menos é gratificante ver alguns detalhes – como na forma que o espião recebia ou guardava informações, ou quando Donovan tem seu casaco roubado; são elementos que nos fazem entrar mais no clima dessa época que muitos do público atual nem fazem ideia de como foi. E se não temos do que reclamar no desenho de produção, sério e de figurinos apropriados, a fotografia me pareceu ser por demais esfumaçada, com luzes erradas que até atrapalham em determinados quadros, em vez de enaltecer, acaba destoando e incomodando (e o que me importam os tons de amarelo só pra deixar outras partes mais acinzentadas?).

Uma cena: quando a personagem do Tom Hanks espera um pouco mais pra ver se Abel iria entrar no banco da frente ou de trás do carro… são por cenas como essa que a gente vê e aprecia tanto o cinema. Eu não quero saber se ele será reconhecido, mas ele é um verdadeiro herói por esse sentimento humano que existe no lado bom de todos nós.
2015-bridgeofspies

Ponte dos espiões foi indicado ao Oscar para as categorias: melhor filme, ator coadjuvante (Mark Rylance), roteiro, trilha sonora, mixagem de som e desenho de produção.

Anúncios

One Reply to “Uma cena: Ponte dos espiões”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s