Desafio Dr. Rocha II – gorduras saudáveis

Eu já falei por aqui sobre meu histórico com a diabetes e o básico da dieta do Dr Rocha. Venho tentando colocar esse primeiro desafio em prática, mas confesso que anda muito difícil. É quase impossível cortar tudo (pães, massas, doces); mas confesso que diminuí bastante e teve uma dias aí que voltei a comer esses carboidratos. Teve um dia em que comi pão de manhã, massa no almoço, depois sanduíche de madrugada… E sabem que senti o estômago “pesar”? Acho que é uma daquelas coisas que a gente tem que experimentar pra sentir e entender. Realmente me parece que se eu continuar uma dieta baixa em carboidratos isso vai me fazer bem.

Então, vamos tentar continuar. Ou melhor, recomeçar de novo.

Um segundo desafio para adotar o programa alimentar do Dr Rocha é substituir as gorduras “ruins” por gorduras saudáveis.

É um desafio porque, assim como os carboidratos, passamos a vida inteira consumindo isso. Se você é como eu e acaba comendo muito fora, vai estar num beco sem saída. Todo mundo por aí usa óleo de soja, e o próprio doutor fala de outros óleos que parecem bons, mas não são – como de canola, girassol.

E quais as gorduras saudáveis? Ele aponta constantemente pra dois alimentos principais que vão fazer total diferença: o óleo de coco e o abacate. Claro, o azeite extra virgem numa salada é bem vindo também.

Eu comprei uma revista sobre óleo de coco e uma das características boas é que ele não perde suas propriedades quando esquentado. Podemos usá-lo substituindo o óleo de cozinha, como para fazer um refogado, por exemplo. Ou para fazer salada; na revista fala para passar na torrada pra substituir margarina. E entre outros usos, algo que me espantou foi colocar no café!

Nos últimos dois meses tenho tentado mudar meu café da manhã. Antes eu comia torradas com margarina, café com leite. Daí resolvi adotar a sugestão de retirar o carboidrato e tenho feito 2 ovos – muitas vezes, um omelete na manteiga com pimenta e açafrão, que o doutor também indica como bom pra imunidade; algumas vezes até com uns pedacinhos de bacon. Acompanhado por uma laranja pera com bagaço (e acreditem, faz toda a diferença essa laranja!), que com o bagaço é recomendada, por causa das fibras.
20161005-cafedamanha
Eu também tentei o café com óleo de coco e canela. Descobri esses dias que até chamam a bebida de “levanta defunto” e foi adotada por algumas celebridades! Bem, ele fica um pouco gorduroso, mas é uma forma de incluir o óleo de coco na dieta.
20161005-cafecomoleodecoco
Na salada do almoço, pretendo usar azeite e à noite, pretendo incluir o outro alimento que ele falou muito bem…

O abacate. Pois é, devo dizer que nunca fui muito fã de abacate. Quando criança, tomei algumas vezes batido com leite e leite condensado. Como incluir algo que não gosto, mas realmente parece ser muito bom para a saúde (pesquisem por aí, num abacate encontramos muitos benefícios que nosso corpo precisa), na minha rotina alimentar? Eu vim testando algumas coisas no último mês. Tem gente que bate ele com um iogurte e já está feliz. Eu vi uma receita na internet em que se coloca um ovo dentro do abacate, fica bonito, mas não sei…

Tentei comer amassado com pedaços de morango. Se o morango estiver mais madurinho ele fica mais docinho. Mas neste da foto tem um pouco de leite em pó. Eu sei, o leite não deveria estar aí, mas fica bom…
20161005-abacatecommorango
Também tentei fazer guacamole. Eu vi umas receitas na internet e até que não fica ruim. Mistura-se tomate, cebola, salsinha, temperando com suco de limão, sal e pimenta. Eu tentei fazer com pimenta jalapeño, e dedo de moça, mas talvez eu prefira sem essas pimentas mesmo. E em vez de tortillas, podemos comer com alface e atum, transformando em salada. Eu gostei dessa opção.
20161006-guacamole-ingredientes

20161006-guacamole

20161006-abacatesalada
E o desafio das gorduras não termina por aí. Dr Rocha afirma que podemos comer bacon, por exemplo. E usar banha de porco, manteiga. Mesmo as gorduras naturais da carne (sabe a casquinha do frango assado?) estariam liberadas. Aí que entra outro ponto de discussão. Será que a gente pode mesmo? E o colesterol? Segundo o Dr Rocha, não são essas gorduras que nos fazem mal, nossos antepassados ingeriam isso. Ele explica em seus vídeos como o óleo de soja, por exemplo, não é algo exatamente natural e muitos dos óleos que consumimos hoje são puro incentivo das indústrias.

Será que procede? Eu ainda não fiz um exame em laboratório certinho com o colesterol detalhado – Dr Rocha também ensina a interpretar esses dados de um exame (LDL, HDL, triglicérides…). Mas ainda estou começando a usar essas gorduras saudáveis, então acho que preciso de um pouco mais de tempo com a experiência. E você? Alguém por aí viu diferenças?

Vamos ver se consigo nas próximas semanas. Com exceção do bacon, claro, esse é fácil de incluir ;)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s