Gilmore Girls – um ano para recordar & why Rory should be with Jess

So I’ve watched by the end of last year the 4 new episodes that Netflix brought us of Gilmore Girls… but let’s face it, it was a little disappointing. I mean, I am a girl who really liked the first years of Gilmore Girls, identifying with Rory, who was intelligent and sweet, who had a kind of cool aura to her because she didn’t care so much of what others would think but had dreams and was stunned by the first loves in life. I loved the small city of Stars Hollow (cause I myself grew up in a small town when I was a kid) and some crazy things like the festivals and funny, unique characters as Luke, Taylor, Kirk, Miss Patty. And I used to enjoy so much the movies, music and books references here and there – many of them, I confess, I didn’t quite get, since I live in Brazil and I guess some just makes sense in the States.

Then, it was a chance to go back to Stars Hollow and also to these dear characters – would Lane have rocked the world? No, she didn’t. There was a piece on Marie Claire that described basic everything I didn’t like about the new episodes (which are below), and actually I even got tired of the series recap (I was watching it all over again) and I’ve stopped at Season 3. But then, I wanted to rewatch at least the episodes with Jess.

Why? Because he really seems to have gotten it together and turned into a decent man, and why really Rory didn’t end up with him? By the second season, she suddenly realize that she is indeed in love with Jess and they are together for some time in Season 3, but then Luke expels him from home because he didn’t want to go back to school and he goes looking for his father. He is back in town to get his car one time, when he keeps running from Rory, only to tell her that he loves her at the end.

roryjess-picnic

roryjess-vynil

Rory goes to Yale and not Harvard, and there is one night when he comes to see her and ask her to run away with him, but she refuses. Then, there is that time when Rory stops going to the university and is living with her grandmother, Jess stops by to show her he wrote and published a book – a small thing, but still, she sees that he’s doing something and that Logan is not exactly a good influence. By the way, I’m really not a Logan fan and I still wonder WHY, oh why Rory is with him after 10 years (!) and he is engaged to another (!!). Com’on.

roryjess-backtoyale

Well, back to Jess, the final episode he appears is in Season 6, ep 18, Rory goes to this party in the publishing company where Jess works. Apparently, he is still game, but Rory says she loves Logan. But now, after so many years, Jess is also back and also at a time when Rory is pretty lost in life and again he ends up being a good motivation to her, and finally she gets to write a book that she knows it’s hers.

roryjess-itsyoume

I mean, seriously, this guy brings out the best in Rory. And if he first appears as a smarty pants and bad boy, he seems to have grown into a caring man (hey, he still cares for his family and there he is back in Stars Hollow). In time we realize how much he cares about Rory and they share interests, they are an intellectual and physical good match, let’s say. The whole idea of soulmates that I enjoyed the most is that a couple could be doing things together and enjoying each other company, and supporting each other, almost complementing each other. That’s why I like the idea of Jess so much with Rory.

There were many things I didn’t like in the revival of Gilmore Girls (to me, the show is dead), but one thing that I really enjoyed was that they left a possibility in the air: that Rory and Jess could finally be together. It’s kind of a karma thing maybe, Lorelai took so long to finally be with Luke, her daughter is her daughter after all.

***

Gilmore Girls – um ano para recordar

Ep 01 – “Inverno”

Lorelai cheira neve e Rory está na cidade para o Natal. A senhorita Patty emagreceu demaaais – por quê?!!! Ela era tão fofa… Eles ainda tem um cara perto do coreto e claro que Kirk tem outro emprego (“oober”! hahaha). Rory tem muitos celulares, e um namorado de quem ninguém se lembra (como?), não tem mais apartamento e enviou suas coisas para vários lugares diferentes, ela também sofre de insônia e sapateado. Taylor continua importunando Luke, como tem que ser, e no Dragonfly Inn, ficamos sabendo que Sookie deixou de ser a chefe. Enquanto a cigana conserta o velho jipe de Lorelai, Kirk se oferece para cantar uma música e uma jarra de água enquanto leva Lorelai para o jantar com Emily. Vemos cenas do funeral de Richard – talvez a melhor sequência dos novos episódios, não fosse a ideia idiota de criar uma nova briga entre Lorelai e Emily porque a filha não conseguiu dar algumas palavras bonitas de lembrança do pai. Por alguma razão, Lorelai insiste com Luke para irem num lugar em que dispõe de mães de aluguel (ridículo, Luke já tem sua filha, Lorelai tem Rory e ele está bem. Qual o problema? E por que insistir na piada de “vou ter que dormir com essas mulheres?”). E a chefe do lugar é Paris, que continua com seu jeitão incisivo. Em Londres, Rory se encontra com uma autora famosa de quem ela escreverá uma biografia, e vemos que ela se encontra com Logan escondido (POR QUÊ???!!!). Em busca da sua roupa da sorte, Rory visita Lane e é meio triste ver que Zach parece ter se entregado e a banda não parece ter progredido muito, mesmo com o vocalista cabeludo tão legal… (o que acontece com a criadora da série que não trata Lane direito? Eu sempre torci pela Lane, ela merecia muito mais e não ainda morar em Stars Hollow, ela merecia ter ganhado o mundo…). Emily parece estar surtando, aceitando empregados que falam um idioma que ela não entende nada, de camiseta e jeans se desfazendo de coisas da sua casa, e Lorelai acaba concordando sem querer em ir fazer terapia com a mãe.

 

Ep. 02 – “Primavera”

Lorelai e Emily não falam nada na terapia, até que de repente começam a brigar no último minuto. Há um festival de gastronomia internacional na cidade, à noite na assembleia a discussão é sobre não ter gays suficientes para a parada que querem organizar. Em Londres, Rory almoça com Logan e o pai dele os aborda. No Dragonfly, Michel não está muito satisfeito com seu emprego e gostaria que expandissem o hotel. Lorelai fica tendo sonhos estranhos e até o verdadeiro Paul Anka aparece (sim! Piscada de olho para aquele episódio do sonho com o cão e o verdadeiro Paul Anka!). Se a autora que Rory tem que entrevistar parecia muito louca roubando pratos do restaurante, Rory vê como será difícil, ela esquece muitas coisas que diz e cisma com o que não precisa. Na sessão de cinema, Kirk vai mostrar mais um curta antes do filme principal (com cabelo de Eraserhead!!! Haha, agora sim, só Kirk salva esta série). Lorelai tenta ver outros chefes de cozinha, mas tem sempre algo de que não gosta. Emily convida Luke para jantar em sua casa e o chama para conversar, fala sobre Richard ter acreditado que Luke poderia expandir seus negócios e gostaria de ajudar financeiramente. Voltamos a Chilton também, onde ex-alunos foram convidados a conversar um pouco com os estudantes atuais; Rory se dá bem em sua aula (mas cadê Max Medina?!!), Paris bota medo até no diretor Charleston e tem um surto no banheiro ao ver Tristan (o quê?! Era ele mesmo? E pra quê isso?). (outra pergunta: se até a inimiga da Paris aparece, cadê Madeleine e Louise?). E por que raios Paris se separa de Doyle? Por quêeeeeeee???!! (Aliás, quero o emprego do Doyle. Quero mesmo). Rory vai fazer uma entrevista sobre uma matéria que poderia escrever, ela diz que vai atrás mesmo sem remuneração. Emily para de ir à terapia sem avisar Lorelai, e ela começa a conversar com a doutora. Emily pega Luke e vai visitar possíveis locais para ser uma espécie de filial do diner. Naomi Shropshire “demite” Rory e ela vai para NY entrevistar pessoas em filas, com Lorelai sempre conseguindo os itens primeiro pelo seu “jeitinho brasileiro” (tudo bem que ela não tem, mas seria algo assim e muito inconveniente, eu diria, eu ficaria com muita raiva de uma mulher dessas se eu fosse uma das pessoas na fila). À noite Rory está indignada que dormiu com um cara vestido de Chubacca, hahaha, e ela decide ir ver o website que estava atrás dela querendo contratá-la, apenas para na hora perceber que era na verdade uma entrevista e ela não tem ideias novas na hora para falar à jovem chefe; acaba voltando a morar com a mãe.

 

Ep. 03 – “Verão”

(E na tentativa de serem engraçados, às vezes os roteiristas forçam a barra. Com alguns comentários e atitudes preconceituosas que não cabem às nossas meninas. Que é isso de estar à beira da piscina e não querer entrar na piscina? E a cara de nojo com todas as pessoas gordas? Que é que há, vocês já foram melhores). Mas tem algumas coisas que recompensam as deslizadas “To Noam is to love him”, a filha de Luke está visitando e ele nem lembra da série que alguns estavam mortos. Todos na cidade acham que Rory “voltou” e até apresentam a ela o grupo dos 30 e pouco que são jovens que também “saíram para o mundo” e voltaram para casa… Vai ter um musical na cidade (e por que Patty não está entre os membros que vão ajudar a organizar ou opinar?!) e Rory se dispõe a cuidar da Gazeta de Stars Hollow depois que Taylor tinha anunciado que ela acabaria. Há apenas dois velhos no escritório, em sua primeira edição Rory decide tirar o poema que sempre existiu e recebe críticas, também descobre que precisará entregar por si os jornais pela cidade e pede ajuda à mãe; depois de tantos anos morando ali, ainda não sabem qual é o lado sul? (e o que foi aquilo de Lorelai dançando para entregar jornal? Tô falando… forçar pra ser engraçado funciona do contrário). Lorelai participa da primeira apresentação do musical que Taylor está preparando sobre a história da cidade (e nós somos obrigados a ver as principais cenas junto com ela… gente! Não acredito que se deram ao trabalho de contratar pessoas e ensaiar coreografias e tudo o mais, acrescentou NADA à série); ela é a única que parece ter críticas enquanto os outros moradores adoraram, claro, teve até Abba no final. Rory está preocupada com a avó e vai visitá-la, fica sabendo pela mãe que a avó está sendo muito meticulosa com a placa do túmulo de Richard. Na gazeta, Rory recebe uma visitinha de Jess, desabafa que sua vida está uma derrocada e ele diz pra ela escrever sobre um assunto pelo qual ela sinta paixão. Lorelai se espanta que um velho amigo do pai também vem visitar Emily, já achando que eles têm alguma coisa, elas se encontram com Rory no cemitério para ver a lápide de Richard, mais uma vez Emily reclama, e Rory acaba contando sobre sua ideia para um livro, que é falar de Lorelai e da história delas, mas Lorelai não é a favor. Ela vê mais uma cena do musical em que a cantora fala algo que lhe toca “I am not unbreakable” (tudo bem, eu até gostei das luzes que deram foco para Lorelai e a cantora, mas… eu não consegui entender muito bem esse problema da Lorelai para ela querer ir “go wild”…. tsc, tsc Que aconteceu com esses roteiros?).

 

Ep.04 – “Outono”

Então Lorelai decide ir fazer a trilha do livro/filme “Livre” e descobre que aparentemente é tão popular que tem várias outras mulheres que vão fazer o mesmo, mas como terá tempo ruim, o guarda pede para esperarem o dia seguinte. (Mas COMO ela me faz uma mochila daquelas? Quem já fez mochilão pela Europa e leu o livro NUNCA faria uma mala assim!). À noite, conversa com algumas mulheres que estão em roda comendo e ela não está ali por divórcio. Luke está preocupado com essa viagem, distraído, passou senha do wifi e perde a hora, Jess percebe e tenta conversar, também desliga o wifi pro pessoal não ficar enrolando no diner. Rory é abordada pela Brigada de Vida e Morte, Colin, Robert e Finn passeiam pela cidade, saqueiam o mercado Doosey, compram uma casa de tango, Logan oferece a Rory uma casa para ela ficar e escrever, de manhã Rory se despede de Logan e dos meninos, e a melhor frase que ele poderia dizer “você nunca precisou ser resgatada” (é, Rory!). Lorelai não consegue encontrar a permissão para seguir na trilha e vai buscar um café, como está fechado, ela acaba olhando para o horizonte e liga para a mãe, fala sobre o pai que lhe comprou um pretzel e a levou ao cinema, e finalmente ela volta para casa; antes que ela possa contar o que precisava resolver, Luke começa dizendo que ela quer deixá-lo, tenta convencê-la, fala sobre tudo o que já passaram e Lorelai sugere que devem se casar. Emily está na sua casa de veraneio e Rory decide ir escrever no escritório do avô. Michel tenta entrevistar pessoas, e Lorelai vai ver um local (com freiras jogando cartas?) para expandir a pousada. Rory traz comida de delivery de madrugada para comer com a mãe, traz o esboço dos capítulos que escreveu e quer que a mãe leia, se não gostar, não terá mágoas. Numa entrevista da DAR para uma nova membra, Emily meio que surta e vai embora, mas sua costureira ajudará a fazer o vestido de Lorelai e Rory vai visitar o pai Christopher. Lorelai avisa à mãe que quer usar o dinheiro que Richard deixou para Luke para expandir a pousada, e fechamos o ciclo com Emily dizendo que dará o dinheiro contanto que Lorelai e Luke venham para uns jantares e passar um tempo com ela. E como este é o último episódio da temporada para recordar, Rory encontra com Dean por acaso no mercado. E Sookie volta (yey! Mas eles nem precisavam ficar apontando tanto que Sookie estava ausente), para fazer o bolo do casamento de Lorelai, claro. Emily parece ter se reencontrado e até serve de guia para contar histórias sobre caça marinha (!). Todos se preparam para o casamento, Rory comemora com Jess sobre os primeiros capítulos do livro e Luke pergunta se já superou isso, Jess só a observa de longe. À noite, conversando sobre como é muito estresse e eles nem vão aproveitar a festa, Luke e Lorelai decidem ir procurar o reverendo e se casar antes de surpresa; passam pelo lugar todo decorado e diversas luzinhas, numa sequência musical bonita mesmo, até com a Emily de longe com o coração tranquilo. Pela manhã, Lorelai reconforta a filha de que ela encontrará alguém que combine também, até que Rory dá a notícia de que… está grávida. E terminamos com a musiquinha tão conhecida da gente nos créditos “If you lead…”

***

Pois então. Sinto cheiro de uma nova série Netflix no ar, o que acham? Assim como “Fuller House”, podem trazer agora o foco pra Rory na sua nova vida de mãe. Mas eu sinceramente não estou mais com vontade de rever tudo de novo nem de ver uma nova série. Não sei.

Eu até me identifiquei com a situação da Rory de mesmo aos 30 e poucos anos ainda estar perdida na vida, sem saber direito o que quer mesmo. E pelo jeito isso virou lugar comum, pra Amy Sherman-Palladino fazer piada. Mas nesses quatro (longos) episódios teve muita coisa forçada e desnecessária.

Acho que o que valeu a pena foi ver a história da Emily, de uma perda e momento de superação, isso sim foi digno. E foi bom rever alguns personagens marcantes, e ver Luke e Lorelai juntos. E só, na história que eu mesma criei sobre o futuro de Rory, ela acaba se entendendo com o Jess e tudo de boas.

Bom, tá na hora de começar outra série pra maratonar! ;)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s